sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

As Canonizações no Magistério Pontifício de Ontem e de Hoje

Resultado de imagem para são pedro roma

Pelo Revmo. Pe. Calderon, FSSPX.
A Igreja sempre rendeu culto público aos santos, primeiro a seus mártires e, posteriormente, a partir do século IV, aos confessores. Ainda que somente o Papa tenha autoridade para julgar se algum servo de Deus pode ser honrado como santo pela Igreja universal, durante os dez primeiros séculos foi a piedade do povo cristão que os canonizava, mais ou menos dirigida pelos seus Bispos e com o consentimento tácito dos Pontífices Romanos. Mas como não faltaram abusos e negligências, os Papas começaram a exercer um controle maior nestes processos, terminando por reservar para si a faculdade de canonizar os santos.
O primeiro documento que menciona esta reserva é um decreto de Alexandre III, do ano de 1170. A vida exemplar dos santos é uma das notas que distingue a Igreja de toda outra falsa religião, e para confusão daqueles que negam, os procedimentos pelos quais os Papas acordaram as canonizações foram desde sempre extremamente rigorosas.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

OS TRÊS DIAS DE TREVAS

Resultado de imagem para fim do mundo católico

Por cúmulo das desgraças, o mundo será envolto em trevas de três dias contínuos, durante os quais nenhum meio de iluminação funcionará, a não ser velas bentas...
O que acontecerá nessa noite pavorosa é indescritível! Muitos [maus] enlouquecerão, muitos suicidar-se-ão.
Os próprios demônios — afirmam as profecias  sairão do inferno, para matar os ímpios.
A confusão será tal, que ninguém compreenderá mais nada.

À guerra exterior, feroz e destruidora, deve pois juntar-se uma calamidade, não menos horrível e destruidora - a de três dias de trevas, em seguida.

domingo, 13 de novembro de 2016

A Missa Nova — Um Caso de Consciência.

Papa Paulo VI rezando a primeira missa nova depois do Concílio; 
abaixo, o mesmo papa acompanhado dos "pastores" protestantes 
que o ajudaram na confecção do novus ordo.


Caríssimos,

O material que iremos dispor aqui já é largamente difundido na internet. Apenas estamos oferecendo mais um meio de difusão e guarda deste precioso trabalho dos Padres de Campos em seus bons momentos ao lado da Tradição.


Bons estudos,
Graça e Paz.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Contra os Modernismos


A Revolução, Modernismo e Estado Social actual é um deicídio social; e o deicídio gera o suicídio; como disse muito bem Nicolas. A sociedade de hoje, querendo matar Deus, embora não o pudesse alcançar, não podia deixar de cair no suicídio, é como o homem desesperado, que apodrecido nas paixões se trucida e mata. Neste tempo excelentíssimo nas misérias Vítor Hugo escreveu Os Miseráveis, ele, que com os da sua Escola têm feito tanta e tamanha a miséria! Vitor Hugo, sempre o roi de la blague, sem que entremos no mérito humano com que ele tratou dos miseráveis ou da miséria, é certo ter faltado naquela publicação a homenagem rasgada, que olha as misérias da Terra e as riquezas no Céu e do Céu, como a prestou o ascético e clássico Bernardes na sua obra As Misérias do Homem. Só à Religião, e Religião Verdadeira, é dado o sarar por inteiro as chagas consequências do pecado no moral do homem, no moral da sociedade. A Filantropia, as Religiões calcadas mais humanamente ou menos, podem fornecer narcóticos que adormecem passageiramente mais na dor que a dor, porém fazer desaparecer esta, ou curá-la pela Conformidade lá para sempre, isto é exclusivo de uma só Medicina, qual é a Doutrina que Jesus Cristo ensinou e segue a Sua Igreja. O Redentor não veio ao mundo fazer concurso com outros homens. Disse: "Eu sou a estrada, a verdade e a vida!" Renan mesmo, negando a Divindade de Jesus, não disse que tinha havido um homem melhor e um filósofo maior que O Nazareno. No decálogo está a salvação da Sociedade; na Igreja a Mãe, que nos ensina e dá ensino e auxílio à Sociedade no conhecimento e desenvolvimento dos Dez Mandamentos. Vemos os Hebreus ou Judeus nos nossos dias, e cumprindo-se neles a Profecia da dispersão; vemos os dissidentes do Cristianismo, invocando Cristo num momento, mas desprezando a Economia de Cristo em todos os outros e cada vez mais; vemos o Modernismo mais ímpio ainda quando moderníssimo do que quando moderno; vemos, que só o Catolicismo, a Igreja Docente e a Discente, fazendo a segunda pela Obediência um só corpo com a primeira; vemos, repetimos, que só o Catolicismo faz verdadeira barreira ao mal e verdadeiramente ensina o bem; logo só este pode salvar a Sociedade. Um dos característicos da Verdade é o haver uma única situação contrária na qual se acham unidos os dissidentes de ela em toda a espécie, e esta situação é a da guerra comum ao inimigo comum Veritas; é justamente o que vemos com relação à Verdade Católica. Ainda no Estado Social actual o desvario e a loucura não chegaram ao ponto de se dizer absolutamente não quero a Verdade, se bem que lhes basta uma verdade feita à imagem e semelhança de todos os erros! ao mesmo tempo a Verdade Verdadeira está patente e evidente, mas o tal Estado Social despreza-a, prova juris et jure de que é menos a cegueira da inteligência do que a corrupção do coração de onde procedem os males da época; aqui bate o ponto.

_______________________________

Fonte: D. António de Almeida, Estado Social nos fins do Ultimo Quartel do Século XIX, Lisboa, 1880.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

O Juramento Antimodernista







O Juramento Antimodernista

Ego N. firmiter amplector ac recipio omnia et singula, quae ab inerranti Ecclesiae magisterio definita, adserta ac dedarata sunt, praesertim ea doctrinae capita, quae huius temporis erroribus directo adversantur.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Notificação concernente às mulheres que vestem roupas de homem

Notificação concernente às mulheres que vestem roupas de homem[1]
Giuseppe Cardial Siri
Genova, 12 Junho de 1960

Ao Reverendo Clero,
A todas as Religiosas professoras
Aos queridos filhos da Ação Católica,
Aos educadores que desejam seguir verdadeiramente a Doutrina Cristã
[2]

I. O primeiro sinal da nossa primavera tardia indica certo aumento, este ano, do uso das vestes masculinas por mulheres, jovens e até mesmo por mães de família. Até 1959, em Genova, este tipo de veste significava que a pessoa era uma turista, mas agora parece que há um número significativo de garotas e mulheres da mesma Genova que escolhem, ao menos em viagens de lazer, vestir calças de homem.

A evolução deste comportamento nos obriga a refletir seriamente, e nós pedimos a quem esta notificação vai dirigida dar toda a atenção que este problema merece, como é próprio das pessoas que estão conscientes de ser responsáveis frente a Deus.

terça-feira, 19 de julho de 2016

AS DUAS COLUNAS — Sonho de Dom Bosco.

No dia 30 de maio de 1862, Dom Bosco teve um sonho impressionante sobre as lutas futuras da Igreja, até seu triunfo final:

Parecia que vós estáveis comigo sobre uma rocha, no mar. Na dilatada extensão das águas havia uma verdadeira nuvem de embarcações dispostas em ordem de batalha, com as proas terminadas e,m afilado esporão que fura e atravessa tudo o que encontra pela frente. Estão providas de canhões e carregadas de fuzis e armas de todos os tipos, de munições e explosivos; e também de livros, porque os livros também são armas.

Todas avançam contra um encouraçado muito maior do que elas, com a intenção de atravessá-lo com o esporão, incendiá-lo ou causar-lhe o maior dano possível.

Receba nossas atualizações no seu email: